Inverdades e política – Jornal


A TIME deixou claro que ‘Cablegate’ foi pouco mais do que uma manobra astuta. Com astúcia calculada, o ex-primeiro-ministro Imran Khan pegou um cabo diplomático e conseguiu transformá-lo em uma arma potente. Usando-o, ele desacreditou sua expulsão legal como uma conspiração financiada por estrangeiros.

Essa fabricação “estratégica” reviveu a sorte do PTI da noite para o dia e tornou Khan relevante em um momento em que parecia condenado a uma saída ignominiosa. Quando ele foi questionado recentemente sobre as implicações do vazamento de áudio do PM Office com ele e seu secretário principal, sua resposta ousada e autoconfiante mostrou até que ponto ele sente que conseguiu seu plano.

Considere o cálculo, pois Khan decidiu capitalizar uma comunicação recebida do embaixador paquistanês em Washington: “Só temos que brincar com isso, que esta data [of the no-trust vote] foi [decided] antes”, disse ele ao seu secretário-chefe.

Compare isso com o que ele disse em seu discurso no grande comício ‘Amar Bil Maroof’ em Islamabad dias antes de sua eventual deposição: “Estamos cientes dessa conspiração há meses […] Estão sendo feitas tentativas através de dinheiro estrangeiro para mudar o governo no Paquistão. Nosso povo está sendo usado […] Estou colocando o caso da independência do Paquistão diante de vocês. A carta que tenho é uma prova, e quero desafiar qualquer um que esteja duvidando desta carta.”

Editorial: Confusão de cabos

Em um país tão acostumado a evitar o óbvio por teorias da conspiração, as pessoas sempre iriam cair nessa.

A indignação de seus partidários com a expulsão forçada do PTI aumentou nos meses seguintes para se enfurecer contra a ‘intervenção estrangeira’. A raiva foi canalizada para qualquer indivíduo ou instituição que ousasse desafiar Khan.

O ex-primeiro-ministro colocou em jogo as relações do país com uma superpotência global e grande parceiro comercial com sua manobra. Ele também voltou seus seguidores contra o Estado com o mantra dos ‘facilitadores locais’ – um movimento calculado para pressionar os setores poderosos a reconsiderar sua política de permanecer ‘neutro’. A política de terra arrasada pode ter gerado dividendos pessoais para Khan, mas a nação pagou um preço por isso.

O ex-primeiro-ministro pode ser muitas coisas, mas não é um tolo. Ele cuidadosamente construiu uma persona pública de um homem honesto para consertar sozinho os erros do país, mesmo quando usou uma astúcia maquiavélica para pegar seus oponentes desprevenidos.

Talvez agora seja hora de chamar seu blefe. Sem dúvida, seria de interesse nacional que o STF aceitasse a cifra, como foi exigido pelo próprio PTI, e resolvesse a questão. Quaisquer dúvidas remanescentes sobre a natureza e o conteúdo da comunicação entre as autoridades paquistanesas e seus colegas americanos devem ser esclarecidas para que possamos avançar nesse episódio.

Há pouco sentido em permitir que esse mistério domine nossa política por mais tempo.

Publicado em Dawn, 1º de outubro de 2022



Source link

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *