Mette Eilstrup-Sangiovanni e JC Sharman recebem o Prêmio Heinz I. Eulau 2022 por Perspectivas sobre Política –


o Prêmio Heinz I. Eulau é apresentado anualmente pela American Political Science Association (APSA) para homenagear o melhor artigo publicado na revista APSA Perspectivas sobre a Política.

Mette Eilstrup-Sangiovanni é professora de relações internacionais na Universidade de Cambridge, onde é membro do Sidney Sussex College. Sua pesquisa se concentra em organizações internacionais, incluindo questões de design e mudança institucional, segurança internacional e o crescente papel de atores não estatais na governança global. Seu trabalho foi publicado em importantes revistas internacionais, incluindo European Journal of International Relations, International Security, International Studies Quarterly, Journal of European Public Policy, Perspectives on Politics, e A Revisão das Organizações Internacionais. Seu livro recente, em co-autoria com Jason Sharman, Vigilantes Além das Fronteiras: ONGs como executoras do Direito Internacional foi publicado pela Princeton University Press em abril de 2022.

Jason Sharmon é o professor Sir Patrick Sheehy de Relações Internacionais no Departamento de Política e Estudos Internacionais da Universidade de Cambridge, bem como membro do King’s College, Cambridge. Ele foi educado na Austrália, Rússia e Estados Unidos, e anteriormente ocupou cargos na Universidade Americana na Bulgária, na Universidade de Sydney e na Universidade Griffith. A pesquisa de Sharman está focada na regulamentação global de lavagem de dinheiro, corrupção e centros financeiros offshore, bem como nas relações internacionais do mundo moderno.

Citação da Comissão de Premiação:

“Enforcers Beyond Borders” é um excelente estudo sobre a ascensão, importância e implicações da aplicação do direito internacional por ONGs. Reconceituando primeiro o que constitui a “execução transnacional”, Eilstrup-Sangiovanni e Sharman argumentam que o fracasso dos Estados em fazer cumprir o direito internacional, juntamente com o surgimento de novas tecnologias e novos remédios legais, forneceram espaço para a ação contundente dos atores transnacionais. Estudos de caso aprofundados de proteção ambiental e anticorrupção mostram efetivamente como a fiscalização das ONGs ganhou maior destaque nas últimas décadas.

O poder deste artigo reside em sua capacidade distinta de abordar uma questão de importância política muito clara, ao mesmo tempo em que se engaja em habilidades de ciências sociais de primeira linha: análise conceitual, construção de teoria e desenvolvimento de estudo de caso. As implicações de uma maior fiscalização das ONGs na arena internacional levantam mais questões sobre a legitimidade processual do comportamento dos atores transnacionais, bem como até que ponto as ONGs deveriam assumir as responsabilidades de fiscalização dos Estados. Ao empurrar essas questões desafiadoras, Eilstrup-Sangiovanni e Sharman abriram com sucesso importantes avenidas de pesquisa para acadêmicos em campos tão diversos quanto direito internacional e política comparada.

A APSA agradece aos membros do comitê por seus serviços: Dr. Erik Martinez Kuhonta (presidente) da McGill University, Dr. Kristin Marie Bakke da University College London e Dr. Benjamin I. Page da Northwestern University.



Source link

Leave a Reply

Your email address will not be published.